GARANTIMOS MAIS QUE LOGÍSTICA

Head Office +55 11 5908 4050

Blog MAC Logistic

Em ano de saldo comercial recorde, produtos básicos são quase metade das exportações

O saldo recorde de US$ 67 bilhões da balança comercial brasileira em 2017 foi possível principalmente pelo aumento nas exportações de produtos básicos, sem acabamento ou tecnologia envolvida, como minério de ferro, petróleo e produtos agrícolas.

Segundo números do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), as vendas de produtos básicos ao exterior saltaram de US$ 79,15 bilhões em 2016 para US$ 101 bilhões em 2017, alta de 28,7%.

EXPORTAÇÕES DO BRASIL EM 2017

As exportações de produtos manufaturados (industrializados, que possuem maior valor agregado e que geram mais empregos na fabricação) também aumentaram, mas bem menos: de US$ 73,92 bilhões para US$ 80,25 bilhões, alta de 9,4%.

Como consequência, a participação dos produtos básicos no total das exportações brasileiras atingiu 46,4%, o maior percentual dos últimos três anos. Já a dos manufaturados foi em 2017 a menor dos últimos três anos: 36,9% do total.

Segundo o secretário de Comércio Exterior do MDIC, Abrão Neto, o aumento da participação de produtos básicos no total das vendas externas em 2017 está relacionado com a safra recorde de grãos e, também, com o aumento dos preços das "commodities" minerais, como petróleo e minério de ferro.

Para o vice-presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), Carlos Portella, seria importante para o Brasil aumentar a exportação de produtos manufaturados porque isso geraria benefícios como criação de mais empregos e maior retorno financeiro para os exportadores.

"Para cada 100 contêineres de algum produto básico, a gente poderia exportar 20 contêineres de manufaturado a um preço melhor. Mais valor do produto gera uma maior receita para o país, gera mais emprego, o PIB sobe mais", declarou.

Peso do Brasil no comércio mundial

De acordo com o executivo da AEB, o fato de o Brasil exportar menos produtos manufaturados do que básicos contribui para que o país tenha representatividade baixa no comércio internacional.

Em 2015, último dado disponível, segundo números compilados pela Organização Mundial de Comércio (OMC), as vendas externas brasileiras representaram 1,2% do total das exportações mundiais, e país ficou em 25º lugar.

No mesmo ano, os Estados Unidos abocanharam 9,4% das vendas externas globais, a China ficou com 14,2%, a Alemanha com 8,3%, a Holanda com 3,5%, a França com 3,2%, o Reino Unido com 2,9% e o Japão com 3,9%.

A participação brasileira no comercio internacional é menor que a de países como o México (2,4%), e Índia (1,7%). O Brasil também fica atrás de Malásia, Polônia, Tailândia, Emirados Árabes Unidos, Singapura, Suíça, Bélgica e Coreia do Sul.

Balança comercial registra saldo recorde em 2017

Como melhorar?

Para Portella, da AEB, a receita para aumentar a venda de produtos industrializados passa pelo aumento da competitividade.

Para isso, disse ele, o Brasil precisa avançar na agenda de reformas e melhorar a infraestrutura. Ele citou a necessidade de se fazer uma reforma da Previdência e, principalmente, melhorar o sistema de tributos brasileiro, considerado muito complexo.

"A indústria é muito penalizada por esses impostos. Já teve a reforma trabalhista, que vai dar um certo vigor, mas a reforma fiscal é a salvação", declarou ele.

O secretário de Comércio Exterior do Ministério da Indústria, Abrão Neto, observou que o governo avançou nas reformas econômicas.

Segundo ele, o governo está implementando outras ações para melhorar o ambiente de negócios no Brasil e gerar mais competitividade para a produção brasileira, entre as quais a facilitação do comércio, redução da burocracia e de custos operacionais, e também iniciativas para permitir um maior acesso aos mercados de outros países, sobretudo por meio da negociação de acordos comerciais.

Fonte: G1

Artigos Relacionados: Regras do despacho aduaneiro de importação são atualizadas pela Receita Federal FMI mantém previsão de crescimento mundial em 3,9% Superávit da balança comercial se aproxima de US$ 40 bilhões apesar da queda nas exportações Balança comercial registra superávit de US$ 30 bi no primeiro semestre deste ano Movimentação de contêineres completa um ano de recordes mensais consecutivos Dólar dispara e impacta importações e exportações brasileiras Balança comercial do mês de maio é afetada pela greve dos caminhoneiros ​Porto de Santos bate novos recordes e tem melhor abril da história Transporte saiu da recessão, mas recuperação ainda é lenta Balança tem saldo positivo de US$ 23,4 bi
Em ano de saldo comercial recorde produtos básicos são quase metade das exportações

mac-logo-pos

   

       

Conheça o grupo MAC Logistic! Ficaremos honrados em atendê-los e principalmente, apoiar o desenvolvimento dos seus negócios, através de projetos logísticos customizados.

   

OFFICES

    Brazil - Head Office (55 11) 5908-4050

    Florida Office +1 305 436-5141

    Vitória Office (55 27) 2122-1777

   maclogistic@maclogistic.com

CÂMBIO

       

As operações da Mac Logistic são regidas pelas Condições Gerais de Negócios registradas no 2º Cartório Oficial de Registro de Títulos e Documentos de São Paulo sob o número 3612634.