GARANTIMOS MAIS QUE LOGÍSTICA

Head Office +55 11 5908 4050

Blog MAC Logistic

Forte alta das exportações fazem do Chile 5º. principal mercado para os produtos brasileiros

28-01-2019

Brasília –  Com pouco mais de 17 milhões de habitantes, o Chile tem se transformado em um dos grandes parceiros comerciais do Brasil e em 2018 o país foi o quinto maior mercado para os produtos brasileiros em todo o mundo. Com alta de 26,99% comparativamente com o ano anterior, os embarques para o país vizinho totalizaram US$ 6,389 bilhões, correspondentes a 2,66% de todo o volume exportado pelo Brasil.

Do lado das importações houve uma queda de 2,05% e os embarques chilenos para o Brasil geraram uma receita no total de US$ 3,382 bilhões, equivalentes a uma fatia de 1,87% das importações totais brasileiras.

Dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia mostram forte aumento em  todos os cinco principais produtos que lideram a lista dos bens embarcados pelo Brasil para o Chile. No caso do petróleo, a alta foi de 36,5% para US$ 2,06 bilhões, correspondentes a 32% das exportações totais para o país vizinho. Ainda mais expressivo (+66,8%) foi o aumento nas vendas de carne bovina. Em 2018 elas totalizaram US$ 466 milhões.

Igualmente impressionantes foram os aumentos registrados nos embarques de automóveis. Com a forte crise econômica que atinge a Argentina, o Chile figurou no ano passado como um crescente e promissor mercado para os automóveis brasileiros e as importações totalizaram US$ 370 milhões (aumento de 41,2%). Também cresceram as vendas de veículos de carga, com alta de 60,6% para US$ 312 milhões e de chassis para automóveis, incremento de 16,5% e receita de US$ 236 milhões.

Em relação às exportações por valor agregado, foram registrados aumentos importantes em todas as três categorias. Entre os produtos manufaturados, a alta de 21,5% contribuiu para uma receita de US$ 3,47 bilhões. Graças a esse aumento, os produtos de maior valor agregado tiveram uma participação de 54,4% nas vendas totais brasileiras para o Chile. Aumentos igualmente importantes foram registrados nos embarques de produtos básicos (+35,2% para US$ 2,81 bilhões) e semimanufaturados (aumento de 22,5% e receita no valor de US$ 99 milhões).

Do lado chileno, os principais produtos exportados para o Brasil foram catodos de cobre (US$ 1,06 bilhão e participação de 31% no total embarcado), salmões (US$ 505 milhões), minérios de cobre (US$ 322 milhões), alcoois aciclicos (US$ 170 milhões), demais produtos básicos (US$ 158 milhões) e vinhos (US$ 148 milhões). As exportações de produtos básicos tiveram uma queda de 9,9% para US$ 1,25 bilhão, as vendas de semimanufaturados cresceram 6,4% com uma receita de US$ 1,25 bilhão e os embarques de produtos manufaturados tiveram uma leve contração de 1,0% para US$ 883 milhões.

Acordo de Livre Comércio

A visita do presidente Jair Bolsonaro ao Chile deverá acontecer cerca de três meses após a assinatura, no dia 21 de novembro, do Acordo de Livre-Comércio Brasil-Chile, ao apagar das luzes do governo de Michel Temer.  O Acordo aborda 17 temas não tarifários, desde a facilitação de comércio até a eliminação de cobrança de roaming internacional para dados e telefonia móvel, comércio eletrônico, serviços, meio ambiente, emprego e gênero, defesa e cooperação econômica, entre outros.

Ao falar sobre a importância da assinatura do documento, em reunião realizada no dia 11 de dezembro, na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), o embaixador do Chile no Brasil, Fernando Schmidt, destacou a velocidade com que as negociações avançaram: “o tempo recorde demonstra compromisso e vontade de ambos os governos. Vamos trabalhar agora para que a ratificação do Acordo, que costuma demorar, em média cinco anos, demore apenas cinco meses”.

No tocante à facilitação de comércio, destacam-se medidas para acelerar e reduzir os custos e burocracias do comércio bilateral. Uma delas é o compromisso de avançar nos portais únicos de comércio exterior e em documentos em formato eletrônico, abolindo-se o uso do papel nas operações de comércio exterior entre os dois países.

Fonte: Comex do Brasil

Fotos: Max Besser Jirkal

Artigos Relacionados: Tufão atinge navio vindo da China para o Brasil e causa queda de contêineres no mar BC eleva de US$ 40 bilhões para US$ 46 bilhões previsão de superávit comercial em 2019 Exportação de soja contribui para superavit de US$ 662 milhões nas contas externas em maio Mercado de trabalho no setor portuário demanda atualização Dólar cai para R$ 3,97 e fecha no menor valor em duas semanas Nova fórmula reduz fretes para os grãos Dólar fecha em alta e se aproxima de R$ 4 com guerra comercial e Previdência no foco Participação de produtos importados no consumo do país é a maior desde 2011, diz CNI Tempo de espera dos navios nos Portos do Paraná diminui 46% Exportações para os EUA têm como destaque participação de 66,5% dos produtos manufaturados
exportacoes brasil ComércioExterior BlogdaMac MacLogistic AcordosComerciais Chile

mac-logo-pos

   

       

Conheça o grupo MAC Logistic! Ficaremos honrados em atendê-los e principalmente, apoiar o desenvolvimento dos seus negócios, através de projetos logísticos customizados.

   

OFFICES

    Brazil - Head Office (55 11) 5908-4050

    Florida Office +1 305 436-5141

    Vitória Office (55 27) 2122-1777

   maclogistic@maclogistic.com

CÂMBIO

       

As operações da Mac Logistic são regidas pelas Condições Gerais de Negócios registradas no 8º Cartório Oficial de Registro de Títulos e Documentos e Civil de Pessoa Jurídica da Comarca de São Paulo sob o número 1483284.