Head Office +55 11 5908 4050
Head Office +55 11 5908 4050 | ÁREA RESTRITA

Dólar opera em alta, de olho no cenário externo e local

Dólar opera em alta, de olho no cenário externo e local
31/07/2018

O dólar opera em alta nesta terça-feira (31), no patamar de R$ 3,75, com os investidores de olho na reunião do Fed (BC dos EUA) na quarta-feira (1) para ter pistas sobre os próximos passos sobre os juros na maior economia do mundo. Houve ainda nesta sessão a formação da taxa Ptax (taxa de câmbio média calculada pelo Banco Central, usada para balizar contratos) de final de mês.

Às 13h46, a moeda norte-americana subia 0,47%, vendida a R$ 3,7464. Veja mais cotações.

“A expectativa pelo resultado do Fed pode deixar os investidores na defensiva”, afirmou à Reuters o operador da corretora Spinelli, José Carlos Amado, referindo-se à decisão de política monetária do Federal Reserve, banco central norte-americano, que ocorre no dia seguinte.

O Fed deve manter as taxas de juros agora, mas sólido crescimento econômico combinado com inflação em elevação devem mantê-lo no caminho de dois novos aumentos neste ano. O banco central as taxas em março e junho, e investidores esperam elevações adicionais em setembro e dezembro.

No exterior, o dólar tinha pequena alta ante uma cesta de moedas e também ante divisas de países emergentes, como a lira turca.

O dólar também subia ante o iene, após o Banco do Japão manter as taxas de juros de curto prazo negativas em 0,1% e orientar os rendimentos dos títulos de 10 anos do governo em torno de zero por cento.

Internamente, a formação da Ptax deste mês influenciava o mercado. Ela é uma taxa calculada pelo Banco Central e que serve de referência para diversos contratos cambiais, levando os investidores a “brigarem” pelas cotações que são mais interessante a eles, causando mais vaivém no mercado.

Na quarta, o Comitê de Política Monetária (Copom) divulga a taxa básica de juros (Selic), que atualmente está em 6,5% ao ano.

O mercado também continuava de olho na cena política local, nessa reta final de negociações sobre apoio para as eleições de outubro.

Atuação do BC

O Banco Central indicou na véspera que pretende rolar todo o volume de swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, que vence no início de setembro, mantendo a estratégia adotada nos últimos meses.

O BC fará na quarta-feira leilão de até 4,8 mil contratos e, se mantiver essa oferta e vendê-la até o final do mês, terá rolado o equivalente a US$ 5,255 bilhões.

Acumulado no mês e ano

Na véspera, o dólar fechou em R$ 3,7289. Em julho, até o dia 30, moeda dos EUA caiu 3,81%. No ano, houve crescimento de 12,54%. Já no semestre, a alta foi de 0,3%, de acordo com o Valor Pro.

Fonte: Valor pro via Globo