Head Office +55 11 5908 4050
Head Office +55 11 5908 4050 | ÁREA RESTRITA

Prefeitura de São Paulo vai proibir circulação de caminhões de carga de passagem pela cidade

Prefeitura de São Paulo vai proibir circulação de caminhões de carga de passagem pela cidade
20/12/2018

A prefeitura de São Paulo vai proibir a circulação de caminhões de cargas que usam a cidade como rota de passagem.

Antecipada pela reportagem da Rádio Bandeirantes, a medida passará a valer quando o trecho Norte do Rodoanel for concluído – o que ainda não tem data prevista.

De acordo com o projeto, o motorista que não cumprir a regra terá que pagar uma taxa.

Esse tipo de veículo circula pela capital apenas como parte do trajeto para a entrega de cargas em outras cidades.

Segundo o Secretário Municipal de Transportes, João Otaviano, é um tráfego que sobrecarrega o trânsito e deteriora a malha viária. “É a carga de passagem. Essa é indesejável. Acaba saturando o sistema, gerando um desgaste no nosso sistema viário e não tem nenhuma contribuição na cidade”, disse.

A ideia é o principal ponto do primeiro “Plano Diretor de Cargas de São Paulo”, que demorou 8 meses para ser elaborado.

O controle será feito pela integração de um sistema tecnológico da prefeitura com programas de identificação de cargas já existentes.

Outra medida prevista no plano é a entrega noturna, que deve desafogar o trânsito e facilitar a logística de empresas de transportes, afirma o secretário.

Segundo João Octaviano, um projeto piloto já foi testado na Vila Leopoldina, na zona oeste, com resultado positivo.

Atualmente, algumas redes de supermercados e drogarias já realizam por conta própria a distribuição de mercadorias durante a madrugada.

O “Plano Diretor de Cargas” também cria rotas únicas para o transporte de cargas especiais, como produtos perigosos.

Outro ponto é o estímulo à criação de terminais logísticos próximos a áreas comerciais para concentrar a entrega de mercadorias num só local.

As medidas começam a valer a partir da publicação de portarias pelo DSV, sem a necessidade de aprovação pela Câmara Municipal.

Fonte: Rádio Bandeirantes via Brazil Modal